Aproxima-se a festa de 31 de Maio e várias irmãs celebrarão seu Jubileu de Ouro neste dia. Parece-nos ser um aniversário muito especial e pensamos que será bom escutar seu testemunho. Começamos com Henar Martín, da comunidade ampliada de Madrid e membro da casa de Orcasur.

1. O que  brota em seu coração  ante a celebração do Jubileu de Ouro?  
Uma ENORME AÇÃO DE GRAÇAS, em primeiro lugar a Deus  pelo dom da vida e pelo chamado para seguir Jesus. Desde aquele 21 de novembro de 1964 quando passei pela porta do Noviciado até hoje, tudo tem sido graça de Deus, os momentos bons e também os menos bons, as luzes e as sombras...
Dou graças a Deus por minha família e pela educação na fé e valores cristãos que recebi desde pequena. Esse ambiente  foi criando em mim uma disposição de abertura ao querer de Deus e de fazer o que Ele esperava de mim. Desde muito jovem descobri que não poderia fazer outra coisa senão ser sua e dedicar a Ele minha vida.   
Ação de graças a minhas educadoras nos colégios das Filhas de Jesus: Valladolid, Segovia… Tenho viva lembrança do amor à Virgem que me inculcaram, em especial a partir da Congregação Mariana à qual desejava pertencer desde muito pequena. Agradeço a tantas Irmãs que foram para mim testemunho de alegria, de entrega, de carinho e proximidade às alunas que, em definitiva, foram um estímulo e mediação de Deus em minha vida; no colégio escutei o chamado à vida religiosa e a seguir o carisma da M. Cândida.
Ação de graças à Congregação onde recebi tudo de melhor da vida: nela vivi um processo de crescimento na fé, e aquele primeiro chamado que ainda não sabia muito bem para onde me levaria, pouco a pouco foi amadurecendo a partir da confiança em mim mesma, em minhas Irmãs e em Deus e sua fidelidade, apesar de minha pequenez e infidelidades, com momentos estupendos de luz e momentos de crise e obscuridade, porém como diz o salmo 23, cada dia na segurança de que “ainda que passe por vales obscuros nada temo porque TU VAIS COMIGO, tua bondade e tua misericórdia me acompanham todos os dias de minha vida…”
Ação de graças pelo HOJE que me cabe viver com suas incertezas, buscas, sonhos e preciosos momentos de compartilhar, de estender pontes, de anunciar a outros a Boa Notícia do evangelho, de colaborar com todos aqueles que se esforçam por ir tornando realidade o Reino de Deus no meio da comunidade, de paróquias, dos leigos, dos grupos de pessoas que buscam apoio, luz y alento para as quais temos a exigência de ser SAL E LUZ, testemunhas de Jesus Ressuscitado que com seu poder vai abrindo caminho neste mundo e plenifica e alegra nossas vidas... Há muita gente que necessita o testemunho de nossa alegria, liberdade e entrega generosa para crer hoje no evangelho de Jesus em uma sociedade que lhes oferece poucas razões para a esperança e o encantamento...
Dou graças a Deus pelas pessoas significativas, amigos, amigas que ao longo de minha vida me ajudaram a crescer e a conhecer e amar mais a Jesus. Por tudo isso, e percorrendo minha história nestes 50 anos, só tenho uma “memória agradecida” por tanto bem e dons recebidos.
E obrigada a vocês, Irmãs e amigos que hoje querem me acompanhar neste dia do Jubileu de Ouro para recordar e agradecer juntos, unidos a Maria em seu Magnificat, tudo que o  Senhor fez em mim e através de mim. Com Maria proclamo que o Senhor tem sido generoso em minha vida… Muito obrigada!
 
2. Qual é minha mensagem para as Irmãs em formação?  
Cuidem e cultivem sua vocação de Filha de Jesus como o “tesouro escondido ou a pérola preciosa” de que nos fala Jesus no evangelho. Vendam tudo o que têm para consegui-la e vivê-la com autenticidade, certas de que nada e ninguém poderão arrebatar este tesouro se estiverem profundamente enamoradas de Deus. Alimentem cada dia, com a oração e a Eucaristia, o encontro com Ele que as manterá vivas, sabendo que o manancial de água viva que levamos dentro não é outro senão o dom do ESPÍRITO que vai dando profundidade e plenitude à vida. Seja este seu princípio e fundamento, capaz de relativizar todos os medos, tristezas, dúvidas…
O Espírito lhes irá abrindo novos caminhos neste mundo que muda em grande velocidade, mas, os pés de vocês estarão assentados na Rocha firme do amor incondicional de Deus Pai-Mãe que quer, mais do que ninguém, levar a bom termo a obra que começou em vocês. A possibilidade de buscar com outros, de partilhar vida e fé com os mais pobres e simples, será a grande riqueza de vocês, não se esqueçam… “Felizes os pobres, os que têm fome e sede de justiça e de verdade, porque deles é o Reino dos céus, eles serão saciados...” Para frente e ânimo! Porque o tempo que nos toca viver é apaixonante, novo, enriquecedor na busca de novas formas de viver a vida religiosa, o serviço da Igreja e dos mais necessitados deste mundo por quem Deus se fez como um de nós, e se entregou por amor até o extremo.

3. Pode nos dizer algo de seus sonhos e desejos para o futuro?
Desejo viver com as antenas bem abertas para perceber por onde o Espírito quer nos conduzir dentro de sua Igreja, certa de que Ele gosta de romper moldes, cada dia é novo, e Ele nos surpreende; com Ele não vale viver velhos moldes fixos e obsoletos, necessitados de vida nova,  renovada. Ele é o Senhor da história e sem dúvida nos irá mostrando o caminho se nos deixarmos agir e guiar por Ele. Não há nada prefixado nem pronto, vivemos momentos de busca, de itinerância, de estar um pouco à intempérie, sem apegos que nos atem ou escravizem.  
Desejo viver este tempo como um “kairós”, um tempo de graça para mim e para a Congregação.
Sonho uma vida religiosa mais unida e comprometida, mais em comunhão entre nós e com outras Congregações de carisma semelhante, trabalhando pelo Evangelho e a favor dos mais pobres, compartilhando com eles a vida e a fé, tendo como centro Aquele que nos convocou para segui-lo de perto, com seus mesmos sentimentos e agindo como Ele.  

4. Algum outro comentário?
Somente agradecer-lhes pela fidelidade, carinho e companhia; caminhar com vocês é como uma apólice de seguro sabendo que vamos juntas, em comunidade, Para Deus; com nossos erros e acertos construímos história sendo fiéis ao momento presente, como todas as que nos precederam desde a M. Cândida até hoje.

No dia jubilar ajudem-me a agradecer e a pedir a Deus o dom da perseverança até o final dos anos que Ele quiser me conceder, até o dia em que, juntas, participaremos do banquete do Reino com todos que creram e esperaram nele.

Sigue leyendo en la web de España-Italia

0
0
0
s2sdefault