Deixo Valladolid,
o trem embala minha experiência de “rezando - vou”
a suavidade do ALVIA permite a meu coração
sentir e gostar, agradecer...

Jornada de encontros para re-cordar.
Faz cinco anos nascemos
sonho? loucura? utopia? para onde?
lançando computadores para Deus…

O que oferecer a nosso mundo
ruidoso, apressado, ritmo vertiginoso
mas buscador de silêncio e quietude?
Como contemplar sem fugir, como viver
a mística de uma conexão
com fios invisíveis?...

Muitas mãos, muitas mentes pensantes,
muitos corações deixando escapar
sua criatividade, vai-se tecendo a rede de um
projeto – não será de loucos? – que cresce
e vai en-redando muita gente,
de perto e de longe... Deus se deixa encontrar!...

Voltemos aos cinco anos. Valhadoli nos recebe
Com tímido sol e baixas temperaturas,
mas chegamos com muito calor e cor em
nosso coração...

Sorrisos, alguns mostrando os dentes,
vozes que têm rosto,
ar de família, festa de aniversário...
Somos muitos e faltam outros.
Troca de experiências, muitas risadas e
Pão, Vinho e Palavra sobre o altar triturador que
entende de grãos que se amassam para serem
partidos e compartilhados.

Oramos juntos, a comunidade se amplia,
a igreja se enche e há um palpitar uníssono:
Tu és o Deus dos encontros:
chama-nos em nossa debilidade,o mistério,
seguimos-te entre fascinação e resistências, mas
com outros vamos descobrindo teu Reino...
Somos imagem do Deus dos encontros.

E avançada a noite nos encontra cantando,
muitas vozes, presentes e virtuais...
Nossos meios tecnológicos e outros, para que
muitos homens e mulheres possam rezar
enquanto vamos a caminho.

Obrigada, família – rezando - vou por esta festa!
Novo impulso, mais vontade, cresce o sonho...
Prosseguimos... enquanto vamos a caminho com Ele.

Por María Luisa Berzosa fi
5 anos de Rezandovoy
Valladolid, 5 de Março de 2016

0
0
0
s2sdefault