Neste ano de São José não podemos ignorar a presença constante e discreta que este grande santo teve na vida de Madre Cândida. «Constante», veremos agora porquê, e «discreta» porque o seu centro sempre foi Jesus e Maria, o seu grande ajudador e confidente.

Mas vejamos o que Mª del Carmen Cruz, Filha de Jesus, nos fala de São José na vida da nossa Fundadora e da Congregação.

Apresentamos um resumo como “aperitivo”. Você pode ler o texto completo AQUI.

Começa na "Casa de San José" de Salamanca, onde um quarto alugado deu origem à Congregação. O santo está na frente da casa, acima da porta.

Do seu nicho o santo contemplava com um sorriso a chegada de portadores com pequenos mas delicados presentes que cruzavam a sua soleira: as flores “da Dona Marquesa”, para o altar, numa determinada festa e o chocolate que um criado do Sr. Bispo os enviaria para o café da manhã de “um dia de sinos”.

Ouviria também de um lugar tão privilegiado a voz inconfundível do Padre Herranz, as orações feitas pelas irmãs antes de se retirarem para descansar...

Entre suas amigas, muitas tinham o nome de São José e três de suas irmãs (como ela).

Seu nome foi dado a algumas escolas:

Em Tolosa, na igreja dos Escolapios, M. Cândida, ajoelhado diante do Tabernáculo, rezou intensamente. A certa altura, ele ergueu os olhos e encontrou a imagem de São José colocada em cima do altar. De repente, ele entendeu quanto sofrimento estava reservado para ele naquela fundação. E ali mesmo prometeu ao santo que construiria uma escola em Tolosa e nela colocaria seu "Colégio de San José".

Pitillas. O Colégio de San José, no povoado navarro de Pitillas, foi inaugurado em 12 de outubro de 1888 e foi denominado "San José" em atenção a D. José Cadena y Eleta, bispo de Vitória e promotor desta escola.

O próximo foi o Colégio de São José de Coca, inaugurado em 22 de janeiro de 1893.

E então chegou o Colégio de São José de Medina del Campo, que abriria suas aulas em 8 de outubro de 1896.

São José sempre teve “pequenos detalhes” com as Filhas de Jesus.

São mais de trinta cartas em que M. Cândida se refere a São José. Neles, ele nos incentiva a ter confiança nele, porque ele pode fazer muito no céu.

“ Se Deus quiser vamos todos para o céu para louvá-lo lá por toda a eternidade. Que felicidade! Ali, com a Virgem e na companhia de todos os santos, para sempre. Amen.” (c.46).

 Acesse o texto completo.

E como o São José ilumina você? Desejamos que este ano seja uma oportunidade para aprofundar seu papel na história da Salvação e nos iluminar na atuação da nossa.

 

Outras publicações em nosso site sobre São José: Com coração de pai e São José, Pai trabalhador.

0
0
0
s2sdefault