Compartilhamos a carta conjunta do Sr. Jolanta Kafka, rmi, presidente da UiSG e do padre Arturo Sosa, sj, presidente da USG, intitulada "Vamos cuidar uns dos outros como o deus da salVação cuida de nós, cuida de nós" e assinou em Roma em 29 de junho de 2020, festa de São Pedro e São Paulo.

Eles começam declarando o motivo de sua carta:

"... sentimos a necessidade de compartilhar com você nossas preocupações, incertezas e experiências, expressar nossa COMUNHÃO e oferecer sugestões de DISCERNIMENTO neste momento de grande sofrimento para toda a humanidade."

Inspirados pelo encontro de Jesus com os discípulos de Emaús, que, incapazes de interpretar tudo o que aconteceu em Jerusalém, retornam às suas vidas sempre desapontadas e sem esperança (Lc 24, 13-33; Jo 19,25), relatam sua carta. de mãos dadas com o relato do evangelho.

 

Ele lhes perguntou: Do que você está falando na estrada? (Lc 24,17)

Precisamos de discernimento quando as condições ao nosso redor perturbam nossa paz e serenidade, e antes disso não temos receitas preparadas. nossos programas e nossos momentos de encontro e também os ritmos comuns de nossa vida e obra foram alterados. Mas em tudo isso ouvimos a voz do Senhor nos dizendo: “Coragem! Eu te envio para percorrer os caminhos deste mundo que eu amo! "

 

 

"O próprio Jesus se aproximou e começou a andar com eles" (Lc 24, 15)

Jesus, hoje como então, vem ao nosso encontro e caminha ao nosso lado, também quando não conseguimos reconhecê-lo. Ele nos escuta pacientemente. Jesus entra em diálogo conosco para iluminar o significado do que está acontecendo e, iluminando nossos corações, nos ajuda a discernir sua palavra e seu Espírito.

É um momento, então, que nos convida a cuidar da escuta, a criar espaços de silêncio e troca contemplativos, tanto de reflexões quanto de dados concretos, para que o discernimento não seja apressado ou as conclusões sejam precipitadas.

Ouça todas as gerações. Ouça com atenção e leia a realidade, o que realmente está acontecendo. A sustentabilidade de nossa missão, de nossas estruturas, deve ser totalmente cuidada, mas o bem mais precioso que devemos preservar é nossa identidade e pessoas carismáticas. Que espaços de escuta podemos criar para que isso aconteça?

"Então Jesus explicou-lhes tudo o que havia sido escrito sobre ele nas Escrituras, começando pelos livros de Moisés e todos os profetas" (Lc 24, 27)

Ouvindo a palavra de Jesus, examinando as escrituras, atentos aos movimentos do espírito santo, chegamos a uma encruzilhada onde devemos escolher o caminho a seguir.

É um tempo de santa inquietação. Fomos privados de projetos, bens e poder de administrar nossas próprias vidas, nossos trabalhos e missões. nos sentimos impotentes. Essa pobreza e incerteza nos leva a confiar verdadeiramente em Deus, a aceitar que a insegurança nos educa em uma intensa busca por Deus, a ancorar nossos corações nele. Isso renova em nós a surpreendente experiência do começo: nossa vocação e missão nascem constantemente dela. Por isso, vivemos um tempo frutífero.

"Mas eles imploraram insistentemente: fique conosco, porque já está escurecendo. Está quase escuro agora. Então Jesus entrou e ficou com eles" (Lc 24,29)

Direta ou virtualmente, descobrimos a necessidade de acompanhamento recíproco, além de nossa comunidade congregacional: uma comunhão que só cresce e dá frutos quando está aberta à comunhão eclesial e à fraternidade humana.

"Então eles imediatamente se levantaram e retornaram a Jerusalém. Lá encontraram os onze apóstolos e os que estavam com eles reunidos"  (Lc 24, 33)

É o tempo da comunhão, de uma consciência crescente da interconexão que existe entre nós. Nós também, como discípulos, somos chamados a recuperar o profundo significado de nossa vida consagrada.

"É verdade! O Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!"  (Lc 24, 34)

Diante de tanta negligência, destacada pela pandemia, como vida religiosa, queremos desencadear processos que nos levem a uma cultura de cuidado, através de um profundo diálogo com nossos irmãos e irmãs em missão, porque, com o maior respeito pela consciência e Na vocação de cada um, é gerado um ambiente de discernimento que pode iluminar a programação apostólica e contribuir para a missão de reconciliar todas as coisas em Cristo. Tome cuidado e deixe-se cuidar de crescer como uma vida religiosa em uma dimensão universal.

Leia a carta completa AQUI.

0
0
0
s2sdefault
  • Pies

  • CG18

  • Profesores Brasil

  • Marta

  • América Andina

  • Filipinas

  • Los 90

  • Tailandia

  • Madrid Mater 1

QUIÉNES SOMOS

Somos un grupo de mujeres consagradas a Dios que nos hemos encontrado por caminos diversos. Vivimos en comunidad y discurrimos por 19 países, allí donde las necesidades de las personas son mayores.

HIJAS DE JESÚS

Queremos seguir a Jesús respondiendo así a una llamada que cambió nuestra vida y que ha ido trasformando nuestra manera de entender toda la realidad. Hoy, ser Hijas de Jesús es estar con Él, contemplar la vida con su mirada, intentar vivir como Él vivió, tratar a la gente como Él la trató, escuchar, perdonar y levantar a las personas como Él lo hizo, buscar con pasión, como Él, que se cumpla lo que Dios quiere para este mundo, su sueño sobre la humanidad. Nuestra familia religiosa se siente especialmente llamada a vivir en una actitud filial hacia Dios como Padre, caracterizada por la confianza, la seguridad en su amor incondicional, la alabanza. Ese rostro de Dios que contemplamos nos invita a la fraternidad con todos, la gratuidad, la sencillez, la alegría.
Organización

SANTA CÁNDIDA MARÍA DE JESÚS

Es nuestra fundadora, una mujer que se fió totalmente de Dios desde su sensibilidad hacia los más necesitados. Fue en Salamanca, el 8 de diciembre de 1871, cuando con otras cinco mujeres comenzó su aventura, sólo con la confianza que da el saber que lo que emprende es “lo que Dios quiere”. De esta manera y con el nombre de Cándida María de Jesús, esta mujer de poca cultura y pocos medios materiales fundó la Congregación de las Hijas de Jesús en una de las ciudades universitarias más importantes del siglo XIX, en Salamanca. La exclusión de la mujer y de las clases económicamente débiles de los ámbitos de la enseñanza movieron a la Madre Cándida a iniciar este camino.

¿QUIERES SER HIJA DE JESÚS?

Joven... adulta... ¿buscas sentido a tu vida? Nosotras lo hemos encontrado en la entrega gratuita y generosa al Señor. ¿Quieres conocernos más? Juntas podemos caminar mejor. Aquí estamos para acogerte: web@hijasdejesus.org