Compartilhamos a carta conjunta do Sr. Jolanta Kafka, rmi, presidente da UiSG e do padre Arturo Sosa, sj, presidente da USG, intitulada "Vamos cuidar uns dos outros como o deus da salVação cuida de nós, cuida de nós" e assinou em Roma em 29 de junho de 2020, festa de São Pedro e São Paulo.

Eles começam declarando o motivo de sua carta:

"... sentimos a necessidade de compartilhar com você nossas preocupações, incertezas e experiências, expressar nossa COMUNHÃO e oferecer sugestões de DISCERNIMENTO neste momento de grande sofrimento para toda a humanidade."

Inspirados pelo encontro de Jesus com os discípulos de Emaús, que, incapazes de interpretar tudo o que aconteceu em Jerusalém, retornam às suas vidas sempre desapontadas e sem esperança (Lc 24, 13-33; Jo 19,25), relatam sua carta. de mãos dadas com o relato do evangelho.

 

Ele lhes perguntou: Do que você está falando na estrada? (Lc 24,17)

Precisamos de discernimento quando as condições ao nosso redor perturbam nossa paz e serenidade, e antes disso não temos receitas preparadas. nossos programas e nossos momentos de encontro e também os ritmos comuns de nossa vida e obra foram alterados. Mas em tudo isso ouvimos a voz do Senhor nos dizendo: “Coragem! Eu te envio para percorrer os caminhos deste mundo que eu amo! "

 

 

"O próprio Jesus se aproximou e começou a andar com eles" (Lc 24, 15)

Jesus, hoje como então, vem ao nosso encontro e caminha ao nosso lado, também quando não conseguimos reconhecê-lo. Ele nos escuta pacientemente. Jesus entra em diálogo conosco para iluminar o significado do que está acontecendo e, iluminando nossos corações, nos ajuda a discernir sua palavra e seu Espírito.

É um momento, então, que nos convida a cuidar da escuta, a criar espaços de silêncio e troca contemplativos, tanto de reflexões quanto de dados concretos, para que o discernimento não seja apressado ou as conclusões sejam precipitadas.

Ouça todas as gerações. Ouça com atenção e leia a realidade, o que realmente está acontecendo. A sustentabilidade de nossa missão, de nossas estruturas, deve ser totalmente cuidada, mas o bem mais precioso que devemos preservar é nossa identidade e pessoas carismáticas. Que espaços de escuta podemos criar para que isso aconteça?

"Então Jesus explicou-lhes tudo o que havia sido escrito sobre ele nas Escrituras, começando pelos livros de Moisés e todos os profetas" (Lc 24, 27)

Ouvindo a palavra de Jesus, examinando as escrituras, atentos aos movimentos do espírito santo, chegamos a uma encruzilhada onde devemos escolher o caminho a seguir.

É um tempo de santa inquietação. Fomos privados de projetos, bens e poder de administrar nossas próprias vidas, nossos trabalhos e missões. nos sentimos impotentes. Essa pobreza e incerteza nos leva a confiar verdadeiramente em Deus, a aceitar que a insegurança nos educa em uma intensa busca por Deus, a ancorar nossos corações nele. Isso renova em nós a surpreendente experiência do começo: nossa vocação e missão nascem constantemente dela. Por isso, vivemos um tempo frutífero.

"Mas eles imploraram insistentemente: fique conosco, porque já está escurecendo. Está quase escuro agora. Então Jesus entrou e ficou com eles" (Lc 24,29)

Direta ou virtualmente, descobrimos a necessidade de acompanhamento recíproco, além de nossa comunidade congregacional: uma comunhão que só cresce e dá frutos quando está aberta à comunhão eclesial e à fraternidade humana.

"Então eles imediatamente se levantaram e retornaram a Jerusalém. Lá encontraram os onze apóstolos e os que estavam com eles reunidos"  (Lc 24, 33)

É o tempo da comunhão, de uma consciência crescente da interconexão que existe entre nós. Nós também, como discípulos, somos chamados a recuperar o profundo significado de nossa vida consagrada.

"É verdade! O Senhor ressuscitou e apareceu a Simão!"  (Lc 24, 34)

Diante de tanta negligência, destacada pela pandemia, como vida religiosa, queremos desencadear processos que nos levem a uma cultura de cuidado, através de um profundo diálogo com nossos irmãos e irmãs em missão, porque, com o maior respeito pela consciência e Na vocação de cada um, é gerado um ambiente de discernimento que pode iluminar a programação apostólica e contribuir para a missão de reconciliar todas as coisas em Cristo. Tome cuidado e deixe-se cuidar de crescer como uma vida religiosa em uma dimensão universal.

Leia a carta completa AQUI.

0
0
0
s2sdefault