Queridas Irmãs,

Nesta festa de família, onde nos lembramos da inspiração de Rosarillo, ao receber a carta circular de Graciela, senti-me emocionado em me comunicar com você dessa maneira, porque sei que muitas pessoas, irmãs e leigos estão unidas de coração e juntos nós voamos para o seu lado. 

Lembrando juntos, mas dispersos, este evento tão significativo para nossa família religiosa, pensamento e carinho vai para os lugares onde existem Filhas de Jesus em situações de maior dificuldade e, é claro, para Mianmar e Venezuela, onde você se encontra acompanhado pelo leigos com os quais você, sem dúvida, compartilha a missão.

Trata-se de um estágio histórico muito difícil em nível global, como sabemos, mas sem dúvida aqueles que mais sofrem são as pessoas mais necessitadas. E aí, com eles está você; Não duvido que, por mais difícil que seja, você também sente a convicção de que esses são nossos lugares por vocação-missão. E o Senhor certamente confirma isso para você.

Você sabe que não está sozinho; A distância geográfica aproxima-se e faz crescer a união dos corações, o que nos ajuda a nós e a nós. Gostaríamos de receber notícias diretas em algum momento, se você tiver uma chance. Por aqui também tentamos cuidar de nós mesmos com fidelidade às indicações que nos estão sendo dadas para ajudar o bem comum.

Hora de todos refletirem sobre a realidade que nos cerca e aprender coisas novas para uma situação totalmente nova. O momento histórico de Santa Cándida também não foi fácil. Ela nos acompanha e nos estimula. Que seja um sofrimento 2 de abril, mas com esperança.

Juntos, em oração e em nossa vocação comum, recebemos um abraço caloroso das irmãs.

María Luisa Berzosa fi

0
0
0
s2sdefault