“Não podeis imaginar como estamos contentes”…

Faz um mês vivemos a experiência da Ultima Provação. É um verdadeiro peregrinar interior e exterior. Somos 14 junioras de Argentina, Brasil, China, Cuba, Filipinas, República Dominicana e Taiwan, com a instrutora Graciela Francovig e Inés Ma que colabora na tradução.

Tudo começou em San Sebastián dia 7 de novembro  com  as palavras de abertura de Clara Echarte, Conselheira geral e encarregada da formação, e à tarde a Eucaristia. Foram dias muito intensos de encontro com a vida, de sentirmos que estávamos em casa. Este processo de conhecer os lugares da madre Fundadora, como também as irmãs das diferentes comunidades de Espanha enriqueceu-nos mutuamente. Todas nos acolheram com muito carinho, paciência e nos explicaram cada lugar onde esteve Madre Cândida com paixão e alegria. Sentimo-nos muito agradecidas pela dedicação que tiveram conosco. Tudo isso nos fez sentir que elas vivem o espírito de Madre Cândida e no-lo transmitem.

Estas experiências nos tocaram profundamente e, como Maria, as guardamos no coração. 

A rota ajudou-nos a conhecer mais a vida da Madre Cândida. Em cada lugar tivemos diferentes experiências: percebemos a pobreza, abnegação, humildade, alegria, gratidão, a confiança em Deus e a abertura à sua vontade, e tudo isso influiu muito em nós. Embora tenha terminado a rota no sentido de passar pelos lugares da  Fundadora, seu espírito permanece em nosso coração e em nossa vida. Suas palavras soam em nossos ouvidos e sua imagem está ante nossos olhos. Em sua companhia prosseguimos e chegamos a Roma.

A vida em Roma é muito rica. Vivemos com as irmãs da cúria geral, embora temos nossos próprios espaços, momentos de partilha fraterna, limpeza, estudo, oração, Eucaristia etc. Rimos muito, com as coisas pequenas do acontecer cotidiano. A relação entre nós é muito alegre e espontânea.

Agradecemos a Congregação que convidou Carmen Simón para  nos ajudar a aprofundar as cartas de  Madre Cándida, e Ana Cinco, para nos animar a descobrir a passagem de Deus pela história do Instituto através da visita ao arquivo da Congregação, o que aumentou nosso entusiasmo e suscitou o desejo de continuar aprofundando nossa  herança para vivermos como verdadeiras  Filhas de Jesus.

É um momento de graça. Tempo da escola do afeto que nos pede abertura, transparência, e disponibilidade para a ação de Deus em nós.

É um momento chave em nossas vidas, por isso lhes pedimos que continuem rezando por nós.

Agradecemos a companhia e animação de Graciela e Inés Ma nesta etapa de nossa formação.

“Bendito seja Deus que tanto nos ama”.  MC

0
0
0
s2sdefault