“Da visita do Papa Francisco à Colômbia”
“DEMOS O PRIMEIRO PASSO”

A visita de qualquer Papa aos países de origem cristã, como é Colômbia, em geral constitui um acontecimento histórico e eclesial muito importante, que marca a vida das pessoas, que estimula e deixa um bom sabor juntamente com desejos de compromisso sincero. Nesta oportunidade foi ainda mais, no meu modo de ver:
- Por ser o primeiro Papa Latino-americano, com o que isto significa para o nosso continente. E o terceiro que visita Colômbia.
- Por seu carisma como Pastor de nossa Igreja que com diversos gestos proféticos vem nos convidando a viver o Evangelho de Jesus com maior coerência, e em uma perspectiva muito evangélica: a do pobre, da simplicidade, da Igreja em saída, do compromisso em meio à fragilidade própria do ser humano, de alegria e esperança…
- Pela cojuntura do complexo processo de paz que se está vivendo no país… e que politicamente tem polarizado bastante a não poucos colombianos.
Assim, com muita antecedência o povo colombiano foi se preparando para esta importante visita, tanto nas paróquias como nas comunidades e instituições de Igreja, civis, políticas e sociais. Foram compostas canções típicas de diversas regiões com este motivo, outdoors de diferentes tipos em nossas cidades e paróquias, orações dirigidas ao Deus da vida pelo êxito pastoral da visita.
Na proximidade de sua chegada, e quando eu retornava para minha terra, fomos convidados a orar com mais intensidade e, na véspera, em várias paróquias, a fazer uma vigília pedindo o dom de saber acolher a mensagem que Francisco nos traria.
Não faltaram algumas vozes dissonantes, afortunadamente minoria, e que pouco eco tiveram pois questionavam  a visita pelo gasto significativo que ela suporia… Ouviam-se frases como: “se há tanto empenho para ajudar os pobres, esse dinheiro poderá ajudar um bom número deles…” Recordava certo eco do estilo de Judas diante de Jesus…
Pessoalmente acompanhei a visita pela TV junto com minha família. Ressoavam em minha mente e coração as vivências e gestos de sua passagem por Bolívia, em 2015, juntamente com várias de minhas irmãs Filhas de Jesus. Hoje me detenho para colocar em palavras o sabor interno que me deixaram os intensos dias vividos, e sua passagem pelas diferentes cidades…
Esta visita do Papa Francisco, em meio ao seu desgaste físico que já notamos, porém com grande vigor pastoral, foi para mim – e sei que para muita gente também:
- Um verdadeiro dom de Deus diante da intensidade da agenda para os cinco dias e a idade do Papa. Uma visita impecável em vários aspectos. Demonstrou ao nosso povo colombiano que sabia a quem falava e a partir de onde. Todas as suas palavras, gestos e silêncios estiveram perpassados de Evangelho e coerência…
- Convite contínuo e reiterado a construir Paz, a apostar sempre nela nas diferenças, a pôr fim a uma guerra de tantos anos que vivemos no país. A trabalhar em cada coração, nas famílias e nos diversos grupos a autêntica reconciliação, o perdão, a inclusão de toda pessoa, em especial das mais vulneráveis em qualquer campo; a darem todos um primeiro passo para seguir nessa direção.
- Compromisso sincero para que todos, desde o lugar em que nos encontramos e para além de partidos, ideologias e credos tomemos a sério, no país e no mundo, continuar dando passos de justiça e inclusão de todos na fase do pós-conflito (que não nomeou) e que se vive na Colômbia.
- Amorosa sacudida, no bom sentido, com suas palavras em Medellín dirigidas aos bispos, sacerdotes, pessoas consagradas, seminaristas, propondo-nos três modos de tornar efetivo o permanecer em Jesus: tocando sua humanidade como bons samaritanos; contemplando sua divindade no Evangelho e na oração, aprendendo a ser adoradores em silêncio, necessitados do perdão e da misericórdia de Deus para levantar-nos cada dia. Finalmente, permanecendo em Cristo para viver na alegria contagiante, que é o primeiro testemunho da proximidade e do amor de Deus.
Alguns dias antes nos enviou uma sentida mensagem: “irei como peregrino de esperança e de paz, para celebrar convosco a fé em nosso Senhor e para aprender de vossa caridade e constância na busca de paz e harmonia… Agradeço o convite para visitar a Colômbia. Sei que trabalharam muito para preparar este encontro… “DEMOS O PRIMEIRO PASSO “é o lema desta viagem… isto nos anima a sair ao encontro do outro e estender a mão e dar-nos a paz. Esta paz que a Colômbia busca há muito tempo. Uma paz estável, duradoura, para ver-nos e tratar-nos como irmãos… não como inimigos… somos filhos de um mesmo Pai… o mundo de hoje tem necessidade de construtores de paz e de diálogo…”
E assim foi! Sentindo o abraço cálido e fraterno para cada um, no qual, como ele mesmo desejava, experimentássemos o consolo e o abraço do Senhor, vivemos com ânimo gozoso… Agora fica para nós o compromisso, com a graça do mesmo Espírito que semeou desejos sinceros em cada coração, ajudando-nos pessoal e comunitariamente a colocar os meios para isso.

OBRIGADA PAPA FRANCISCO POR NOS VISITAR, NESTE MOMENTO DA VIDA DA COLÔMBIA
Teresa Ramírez fi

0
0
0
s2sdefault