DA VISITA DO PAPA FRANCISCO À COLÔMBIA
“EM BUSCA DE PALAVRAS DE VIDA ETERNA”

Desde o anúncio da visita do Papa Francisco a Colômbia senti necessidade de caminhar, despojando-me neste caminho da tristeza e dor que os sistemas, opressores da VIDA,
fabricam sem compaixão. Intuía que a palavra de FÉ de FORÇA E ESPERANÇA que FRANCISCO contagia, poderia ser o complemento vitamínico que me dariam as férias de verão, para continuar escutando e acolhendo a vida que chega para mim cada manhã através de minhas irmãs de comunidade e de outros muitos e muitas, graças aos quais continuamos sendo a comunidade ampliada de Venezuela.
O primeiro projeto era irmos todas as irmãs e alguns amigos. Não foi possível devido a um sistema que corta a liberdade por todos os lados. Porém, Deus, Pai da Vida, que abre outras passagens quando são fechadas as portas, me deu coragem para desafiar meus medos e me atrever com o Padre Elvis Cabarca a cruzar a fronteira por outros caminhos, unicamente por causa do sonho de saciar nossa sede de esperança na fonte viva de Jesus Cristo, por meio de seu discípulo Francisco.
O encontro seria em Cartagena de Indias, berço dos direitos humanos muito vulnerados nesta parte da grande Colômbia, onde Elvis e eu somos também discípulos peregrinos.
Viajamos durante dois dias por terra. No caminho fomos testemunhas da dolorosa cena de famílias venezuelanas inteiras abandonando o país em busca de melhoria econômica; e nós, em busca de Palavras de vida eterna para continuar partilhando com nossos irmãos e irmãs o ânimo e a esperança que somente Jesus oferece.
Escutar o Papa orar pela Venezuela na oração do Ângelus, nos abriu o coração e renovou o  compromisso de nossa consagração. Como também sermos surpreendidos pelos meios de comunicação, precisamente quando entrávamos na Casa de São Pedro Claver, por se darem conta de que vínhamos de Venezuela. Não sabia que nesse exato momento estávamos sendo televisionados. Ficamos sabendo pelas irmãs que nos viram pela televisão. Algo que nem procuramos nem desejamos porque em nosso coração havia outros motivos que nos moviam.
Ver Francisco à distância de um metro nos alegrou o coração; e suas palavras de condenação para os que matam a vida e destroem a dignidade da pessoa renovou nosso compromisso de amar servindo com alegria e liberdade tantos que em nossa bela Venezuela caminham com dificuldade para continuar confiando e esperando no Senhor da Vida que conduz  a história.
Obrigada, Papa Francisco, que sem conhecer nossa busca, foste instrumento do Pai, fortalecendo nossa teimosa decisão de crer e caminhar contra TODA ESPERANÇA, apostando na VIDA entregando a nossa com alegria e simplicidade.

0
0
0
s2sdefault