Imprimir

Com o tema “Liderar acompanhando” realizou-se em Madri o VIII Encontro de Equipes Diretivas. Seus membros responderam ao chamado anual e, desde a manhã, no Colégio Maior Berrospe, ouvia-se um murmurinho entrelaçando cumprimentos, abraços, expansões envoltas na alegria que supõe o reencontro de tantas pessoas conhecidas que compartem a mesma missão.
Com dificuldade Charo Ros, membro da EPOE, conseguiu nos fazer calar para iniciar a jornada com um momento de oração. O ícone de Emaús acompanhou-nos todo o tempo, como a melhor imagem para acompanhar e acompanhar-nos no caminho...
“Tu es palavra de vida, Jesus Mestre, Jesus curador”, escutamos a canção que dispôs o coração para a Palavra: aparição aos de Emaús. Depois silêncio, interiorização para nos perguntar de onde venho, que caminho estou percorrendo, quem caminha comigo... terminando com outra canção, “Senhor da misericórdia”.
Em seguida Teresa Pinto FI, provincial de Espanha-Itália, nos deu as boas vindas e uma mensagem a partir de nossas Constituições referentes ao governo, evocando a “liderança” exercida por nossa Fundadora que a fez não com essa linguagem, mas com um substrato que pode nos ajudar hoje e aqui. Teresa procurou esta missão de liderar, conforme nosso modo de ser, na Parte VII das Constituições, que mira à Parte X e dá o enfoque a todas as demais.
Nela é pedido, para qualquer Filha de Jesus, irmão ou irmã que faz este serviço, “além da conveniente preparação, inteligência e juízo prático”, seja pessoa que confia em Deus, que sabe se colocar em suas mãos como Pai que ama a todos... seja exemplo de virtudes, de fortaleza, de amor ..., humildade de quem se reconhece igual, exemplo que edifica, que constrói, que ajuda a  crescer.
Fala-nos também de prudência, de fortaleza nas adversidades e, se algo disso faltar, que tenha sempre muita bondade e amor à Congregação e às pessoas. Teresa termina lendo uma Carta de nossa Fundadora na qual recomenda a uma irmã as atitudes que deve ter quando precisar substituir a superiora na comunidade.
A seguir Raquel Amigot FI, delegada de Obras Educativas, apresenta Lola Arrieta CCV, que neste dia acompanhará o grupo participante para orientar o tema. Diz que é especialista em buscar ferramentas que nos ajudem a progredir: escuta, acompanhamento, aprofundamento... Lola diz se sentir em casa, e veio para compartilhar a paixão por esta mediação profundamente espiritual cristã. Como pessoa de fé e apaixonada pela vida acredita no viver um modo de relação em que faça a diferença, no estilo de Jesus, somar, incluir, onde estivermos acompanhar como educadores, companheiros, famílias, contextos...
Vai o esquema:
- Ver o contexto.
- O que é acompanhar, hoje, e o que não é.
- E nós diante disso?
- Algumas variantes de acompanhamento.
Hoje assistimos a uma explosão de diferenças, de contrastes: incluir ou excluir, distancias e proximidades, e o exercício de acompanhar é um modo de ser em relação, aposta evangélica contra- cultural, inclusão, onde eu estou você cabe para que também você esteja e eu também possa estar, ser e deixar ser. Recorda-nos a quantidade de cursos, métodos, instrumentos que buscam algo semelhante: coaching como valor em alta, psicoterapia, guias, relações... mas, se somos verdadeiros cristãos, a fé é essencial; para aprofundar precisamos nos acercar a algum líder que tenha recursos suficientes, evidentemente, e nesse reconhecimento temos Deus mistério que ordena a uma nova criação.
Lola vai nos aproximando a outros autores – Frances Torralba, Francoise Dotlò, Dolores Aleixandre -  e  orientados por ela vamos nos adentrando neste caminho de acompanhar e ser acompanhados, vamos sendo iluminados. Somos e vivemos em relações; ser pessoa é rede de relações e aí entra o liderar acompanhando, o desenvolver essa capacidade de ser em relação na vida que nos leve VIDA e à vida digna para todos.
Acompanhar é ciência do coração para descobrir, não para analisar como fazem os psicólogos, às vezes os adivinhos; o acompanhamento espiritual é uma mediação, uma ajuda solidária quando chega a nós a mensagem dos outros.
Poderíamos resumir em quatro verbos o que o acompanhamento supõe: vincular-se, mediar, clarificar, discernir. Lideramos acompanhando quando criamos âmbitos nos quais é possível expressar-se.
O dia foi intenso, cheio de vivências, de conversas informais, de sensações variadas. Ao finalizar o período da tarde nos despedimos, voltamos a nossos lugares, seguimos nosso caminho, oxalá com o coração ardente pela palavra de Lola que nos remete ao Mestre e Senhor de nossas vidas, verdadeiro e incondicional acompanhante.
Por María Luisa Berzosa FI

0
0
0
s2sdefault